11 junho 2011

Sejam bem vindos à nossa casa por 12 dias


Para o caro leitor que visita o blogue dedicado a um tema que lhe parece longínquo, que gosta mas não se dedica a pesquisar se pode, por pensar que à partida é impossível ... vão estas palavras.
Este é o tempo certo! Ainda vai a tempo de fazer um cruzeiro a preços "controlados", dos mais baixos que se tem visto, o mundo anda turbolento com as crises e as companhias disputam preços. Poupe, informe-se bem, acompanhe a evolução dos preços, avalie qual a companhia mais indicada para si, escolha um porto de partida e chegada próximo de casa para não gastar muito em ligações aéreas. Se tem medo de marear, por ser a sua primeira vez, escolha um navio grande e tente reservar um camarote ao centro do navio. Por regra, quem não tem a experiência de ser ou não susceptível de marear recebe uma grande surpresa, garanto-lhe. Sei que é uma preocupação da primeira vez que se desmistifica. Ao entrar a bordo os seus sentidos não têm tempo para pensar em marear. A bordo vai ser levado a se distrair desse medo e vai gozar o tempo. Até pode tomar o comprimido, ao entrar para lhe dar confiança, mas deixe-se levar e esquecer. O comprimido provoca alguma sonolência, não vai precisar, o que precisa é de absorver toda a experiência para mais tarde recordar ... e voltar :o) Avalie se ainda não fez um cruzeiro por razões financeiras, por medo de marear ou por nunca ter pensado nisso. Olhe que a diária (divida o total a pagar pelo número de dias) com tudo incluído (com a excepção de bebidas e tours), visitando tantos lugares sem mala às costas é mais viável num cruzeiro. Comece por um mini-cruzeiro de 4 dias. Só é mau porque acaba depressa :o) depois de se aperceber que afinal é um excelente marujo.

Sem comentários:

Enviar um comentário