25 agosto 2011

Canal de Kiel

O Canal de Kiel, navegável mas variável na largura ao longo da sua extensão, comporta navegação marítima. Tem 98 quilómetros e situa-se no estado de Bundesland na Alemanha. Liga o Mar do Norte em Brunsbüttel até ao Mar Báltico na localidade que lhe dá o nome, Kiel-Holtenau (Link webcam).
Os 98 quilómetros do canal de Kiel têm por objectivo evitar as 280 milhas náuticas (519 quilómetros) necessárias para contornar/navegar pela península de Jutlândia. Poupa tempo, combustível e evita as históricas e frequentes tempestades marítimas no contorno da península. Dados de 2007 indicam que  comparativamente com outros canais é o mais utilizado canal artificial do mundo.
Para documentar o canal de Kiel, que pouco se alterou na paisagem, escolhemos um vídeo de 1999 onde o Royal Viking Sun se encontra com o Black Watch, navios de então:

Pudemos observar como este canal navegável suporta dois navios em paralelo, nos standards de 1999, nos dias que hoje correm existem navios que não podem visitar o canal de Kiel pela sua dimensão, sobretudo em altura pelas pontes no seu percurso. Lembramos que o início da construção deste canal remonta a 1887. Existem navios de cruzeiros, vocacionados para o segmento de "explorer", que estão dimensionados para passar pelo canal de Kiel, outros possuem chaminés e mastros reclináveis, alcançando a altura máxima possível que proporciona a passagem total pelo canal, são os casos e por exemplo do Norwegian Dream, o Minerva (Swan Hellenic), o Regatta da Oceania Cruises, O Prinsedam da HAL, o Balmoral da Fred Olsen, entre outros dimensionados como navio de cruzeiros. O segmento de Yatchs estão particularmente aptos para a travessia.
Quanto aos navios que se cruzam no filme, o Royal Viking Sun (antes Seabourn Sun) neste caso é navio da Cunard  e denomina-se actualmente por Prinsedam (Link) da Holland America Line. Quanto ao Black Watch (Link) foi anteriormente denominado por Royal Viking Star (Royal Viking Star, Westward, Star Odyssey). Dois navios com a mesma origem, a extinta Royal Viking Line.

Sem comentários:

Enviar um comentário