05 novembro 2011

Nieuw Amsterdam cancela escala no Funchal

       N * E * U * W       M * S * T * E * R * D * A * M       
E S P E C I A L   F I M   D E   S E M A N A 
       N * E * U * W       M * S * T * E * R * D * A * M    
   
Pela segunda vez até ao momento, o Nieuw Amsterdam estava programado para atracar no Funchal e não o fez. O navio cancelou a escala e está a tomar um rumo mais encostado à costa africana. Uma oportunidade que se perde  para receber um mítico nome por entre muitos que já navegaram e que navegam pelos oceanos deste mundo. É o 4º navio que ostenta esta designação. 
Sem retirar a importância que cada um dos quatro navios tem, ao serviço da Holland America Line, destacamos o segundo desta linhagem real.Passou por um tempo de incertezas e guerras, ganhou uma notoriedade que marcou o tempo, pelo menos enquanto cada novo navio for lançado ao mar ostentando o nome Nieuw Amsterdam. Vivemos tempos de incertezas, bom seria ter a presença de um resistente entre nós. Dentro dele existem simbioses com resultados práticos e de sucesso.
Fundadores da cidade de Nova Iorque sob o nome de Nieuw Amsterdam, os holandeses que veneram e resguardam o que é seu, tiveram posteriormente a adesão dos americanos. Quem vem para preservar funde-se. É assim que de um lado, o da Europa, temos a Holanda e do outro temos os Estados Unidos que em várias parcerias de sucesso vão fortalecendo a centenária Holland America Line. A Holanda contribuí com a história, a navegação, a escola náutica e de oficiais e a tradição; os americanos contribuem com a gestão, a dimensão e a soma de mais pessoas que a tornam lenda. Ambos acham seu por direito próprio. Há ainda uma terceira parte, os que são ou foram clientes e não esquecem a experiência e se tornaram fãs. A Holland America Line é a companhia com a mais alta taxa de repetição dos seus clientes a bordo, veneram-na.

       N * E * U * W       M * S * T * E * R * D * A * M       
       N * E * U * W       M * S * T * E * R * D * A * M       
O segundo dos quatro navios foi construído em Rotterdam para a Holland America Line que tinha então a sua sede a dois passos desses estaleiros: Rotterdam Drydock Company N. V.. Foi e é considerado por muitos até aos nossos dias o melhor navio jamais construído para a HAL. O navio foi baptizado pela rainha Wilhelmina em Abril de 1937 e considerado o "Navio da Paz" quando já sopravam brisas de guerra pelas costas de um povo que olhava para o mar e que o enfrentava como seu pior inimigo pela natureza do seu país.
Não é dos nomes que nascem os mitos, é da história que depois recebe uma identificação, é o mesmo que dizer que é preciso trabalhar para merecê-lo. É assim que o navio da paz e após 17 viagens, foi enviado para Hoboken em New Jersey após a invasão alemã à Polónia. Esteve um ano parado e requisitado posteriormente pelo Ministério dos Transportes britânico para os esforços de guerra após a invasão da Holanda por Hitler. Começa verdadeiramente o nascimento de um mito, um navio de paz e luxo é transformado para transporte de tropas em tempo de guerra. Sem capacidade militar mostrou no entanto porque é considerado, até hoje, o melhor navio contruído para a HAL. Excelente motorização, estabilizadores de balanço (que falamos na nossa presente edição da Cruzeiros em banca) e tripulação fizerem o nome Nieuw Amsterdam perdurar nas memórias por quem viajou por lazer mas também em tempo de guerra, era seguro estar a bordo na ida e tranquilizante chegar a bordo no regresso. Para isso contribuiu a sua esquiva e inteligente navegação em tempos de menos precisão nos instrumentos de bordo mas suficiente para transportar em segurança 350.000 tropas por quase um milhão de quilómetros enquanto decorria o tempo de guerra.
Em 1946, terminada a guerra, foi devolvido à HAL, remodelado, recheado de novo com luxo e serviço de acordo com "The spotless fleet" e enviado para cruzeiros nas caraíbas.
       N * E * U * W       M * S * T * E * R * D * A * M       
       N * E * U * W       M * S * T * E * R * D * A * M       

Hoje era dia de ter em presença o novo, o herdeiro. O Nieuw Amsterdam já havia estado no Funchal a 11 de Abril do corrente ano, na sua escala inaugural, o navio ficou fundeado ao largo da baía tornando possível a chegada dos passageiros a terra através das suas baleeiras, isto num dia de grande azáfama no porto do Funchal com todas as suas áreas ocupadas. Esta seria a sua segunda escala mas primeira atracagem mas também não foi possível.

Em jeito de compensação surge este post como que por especial atenção a quem estava de "bico doce" para chegar a sábado 5 de Novembro. Segue o artigo da HAL da revista nº 2, que poderá ampliar e observar a história da HAL e a referência ao Nieuw Amsterdam.


       N * E * U * W       M * S * T * E * R * D * A * M       
Recordemos alguns momentos e alguns pormenores:
       N * E * U * W       M * S * T * E * R * D * A * M    


Sugestão final, Viagem de 17 dias com partida a 01/04/2012: Fort Lauderdale, 7 dias navegação, Horta, Ponta Delgada, navegação, Lisboa, Portimão, Cádiz, Malaga, navegação, Barcelona. Sai no dia das petas mas é bem verdade e com preços convidativos. Lembre-se de que pode ir para Miami na TAP (abordagem na Cruzeiros, edição nas bancas) e regressar em Low Cost até Lisboa desde Barcelona.
       N * E * U * W       M * S * T * E * R * D * A * M    

8 comentários:

  1. Bela publicação, os meus parabéns. A anterior antiga também.
    Marco Gonçalves

    ResponderEliminar
  2. Grande artigo e grande companhia. Como posso ter os numeros anteriores??? Obrigado e parabéns.

    ResponderEliminar
  3. Meus senhores da Cruzeiros, eu adorei e queria que soubessem porque talvez assim nos proporcionem mais momentos destes. Aquela música transporta todo o artigo para a elegância, algo distinto que temo que vá desaparecer. Estas empresas centenárias sabem o que fazem mas não sei se haverá muita gente com categoria para saber apreciar. Obrigado.
    Augusto Tomás
    Aveiro

    ResponderEliminar
  4. Estimada pessoa do segundo comentário,

    No caso de desejar adquirir números antigos deverá enviar um mail para: geral@cruzeirosonline.com
    Deverá indicar nome, morada completa, nº de contribuinte e um contacto telefónico.

    Se desejar obter uma assinatura deverá enviar um mail para: assinaturas@cruzeirosonline.com
    Enviado os mesmo elementos no caso anterior.

    A nossa equipa quer lhe agradecer a sua visita, as suas palavras e o seu interesse pela nossa revista.
    Venha sempre ao nosso blogue, cumprimentos.

    ResponderEliminar
  5. Caro senhor Augusto Tomás,
    este sábado está de facto nostálgico mas de coração preenchido.
    Costumo dizer que não sou elitista mas gosto da classe. Creio que estamos absorvidos pelo desejo de classe, ver, sentir e viver com um pouco mais de classe. É por isso que o artigo do Nieuw Amsterdam e do Funchal nos criam nostalgia.
    Agradecemos a sua visita, os cumprimentos da equipa da Cruzeiros

    ResponderEliminar
  6. Senhor Marco Gonçalves,
    obrigado por escrever no nosso blogue, com simplicidade nos dá alento e entusiasmo.
    Os nossos cumprimentos
    Cruzeiros

    ResponderEliminar
  7. Se me prometerem uma publicação destas por dia eu mando desligar a televisão por cabo. É só novelas, reality shows, parvoices e desgraças.
    Parabéns, gostei muito.
    Antero de Alcobaça

    ResponderEliminar
  8. Caro Sr. Antero,
    Eu não sei se escreveu com um estado de espírito humorado ou desesperado com a TV mas quero-lhe pedir o seguinte, sabe que quando se desiste aparece sempre o departamento da qualidade a "apaparicar" e perguntam-lhe o motivo da desistência ... escreva só "http://blogue.cruzeirosonline.com" :o)
    Adira ao blogue e ao envio de mails, assim não perde pitada da Cruzeiros.
    Um abraço para o Sr. Antero da equipa da cruzeiros

    ResponderEliminar