15 novembro 2011

Como estarão os personagens do ...

Fizeram-nos navegar sem marear nem sair de casa durante 10 séries de programas que perduraram entre 1977 e 1986. Também fizeram navegar celebridades e distintos actores/ actrizes de cinema pelos seus episódios. Havia sempre um amor para conquistar ou um trauma para esquecer mas todos se "curavam" a bordo. É com certeza a mais conhecida tripulação de navio sem nunca ter exercido a profissão. Por onde andarão estes simpáticos? E a sua aparência? ... já lá vão muitos anos.
O eterno capitão Merrill Stubing (na vida real Gavin Macleod) durante os nove anos que duraram os episódios do "Barco do Amor" e para sempre na nossa memória. Depois do sucesso da série representou em alguns filmes, não muitos, porque definitivamente ficou marcado como o capitão do Pacific Princess e é hoje em dia porta-voz da companhia Princess Cruises.
Doutor Adam Bricker, na verdade Bernie Koppel (o simpático da vida real) era um médico sui-generis, alguém se lembra dele tratar alguma doença a bordo? Pois ... de amores certamente, ressuscitava da tristeza qualquer paciente com as suas palavras de encantamento. Antes de participar na série "O barco do amor" a sua carreira era já promissora, com a série confirmou. Mantém a sua ligação, apesar de reformado, aos cruzeiros onde participa em muitas conferências, deixando mensagens àqueles que vão viajar. Ainda recentemente foi entrevistado para a Cruise Radio. Encontramos com alguma frequência as suas mensagens em alguns documentários sobre navios no Youtube.

Julie McCoy (Lauren Tewes) a alegre directora de cruzeiro que irradiava simpatia, suspendeu a sua participação no "Barco do amor" em 1985 por dependência das drogas. Reapareceu posteriormente em 2 episódios da série. Participou no filme "O fugitivo" no papel de Linda Westershulte. Retirou-se dos holofotes da fama e parece que ganhou vida.
Ted Lange (Isaac Washington), o barman do navio, figura carismática pela sua imagem até aos nossos dias. Uma operadora de telemóveis reavivou recentemente a nossa memória numa publicidade. A bordo era outro conselheiro do amor. Tem participado em filmes mas actualmente é director e argumentista.
Gopher (Fred Grandy), o "saltitante" membro da tripulação, o pronto socorro e ombro amigo dos passageiros, quer nas malas perdidas quer na indicação das direcções a tomar ou simplesmente desabafar. Não seguiu a carreira de actor, representou politicamente o seu estado, o Iowa, durante uns tempos mas a política também não o convenceu. Voltou à ribalta do espectáculo com um programa radiofónico do qual foi co-produtor, o "The Grandy & Andy Morning Show" da WMAL em Washington D.C.

4 comentários:

  1. Simplesmente Brilhante

    Um abraço
    Vitor

    ResponderEliminar
  2. Agradecidos pelo seu comentário. Ventos em popa para os trabalhos nos seus blogues, com o seu esmero ... multiplicam-se e sempre com qualidade. Um abraço da equipa da Cruzeiros.

    ResponderEliminar
  3. A vida é um tempo... o tempo...
    Que chega às rugas, aos cabelos brancos...
    Mas o que é bom fica na memória...
    É o caso do Love Boat...
    E quantos(as) ficaram apaixonados(as) pelos cruzeiros, graças a este série de televisão?
    Muitos e muitos!!!
    Que a revista Cruzeiros atravessem também no tempo e perdurem, pelo bem que fazem!

    ResponderEliminar
  4. Este texto deveria ter um nome pois merece.
    Agradecidos pelo comentário, sentimos o que diz.
    A equipa da cruzeiros

    Nota: quem sabe se com tanta popularidade e ao fim de tantos anos não valerá a pena apostar de novo na série ...

    ResponderEliminar