08 fevereiro 2012

A paixão dos "aviões" pela água :o)



Está curioso?
Ekranoplan é a palavra chave!
O Ekranoplano, reconhecido pela NATO como Duck (pato) foi um projecto russo com origens na era soviética destinado a dar vantagem militar sobre os Estados Unidos e compreendia alguns modelos que diferiam entre si e que vimos no vídeo.

Basicamente os Ekranoplanos são barcos voadores com uma grande placa de deflexão (asas) na parte inferior para induzir à descolagem mas, não foram feitos para voar.
Na década de 60 do século passado, os Estados Unidos apanharam com surpresa, através dos seus satélites espiões, algo raro que flutuava no Mar Cáspio. Naquela altura as imagens recolhidas não tinham grande definição mas era o suficiente para os "experts" teorizarem. As primeiras ideias desse vislumbre indicavam que era "mais ou menos" com a forma de uma avião, grande mas com asas pequenas que não colocariam aquele engenho no ar. Os americanos, na falta de melhor termo, batizaram-no de "Monstro do Cáspio". Era intrigante, que raio andavam os russos a fazer?
Hoje podemos dizer que era um Ekranoplano KM, 310mt de comprimento e que podia pesar até 540 toneladas. Era parecido a tudo mas ao mesmo tempo a nada, um hidroavião voa este não, um avião voa mas este não, mas tem forma de avião e usava jactos ou em modelos posteriores, a hélice. Foi feito para ser rápido e manobrável sobre água ou terra (zonas ribeirinhas) e intencionalmente não voava. O GEV (Ground Effect Vehicle) explorava uma característica interessante das aeronaves com asas. Quando se voa muito próximo ao chão a sua elevação aumenta de forma extraordinária podendo levantar cargas pesadas com muito pouco esforço. Foram projectados diversos modelos para servirem de lançadores de mísseis, hospital de campanha, transporte de tropas, etc. O desenvolvimento destes equipamentos sofreram rude golpe num acidente em 1980 no Mar Cáspio quando tentava diferentes desenhos para as asas dos Ekranoplanos.
O Ekranoplano não voava mais do que 20 pés. Produzia um efeito similar ao magnetismo de alguns comboios na actualidade que não tocam na superfície. O maior problema dos Ekranoplanos é que para sair bem tinham que ser grandes. Quanto maior mais fiável.

Ekranoplano MD-160
Este curioso projecto enfrentou várias fases da história recente da União Soviética/ Rússia, mas o maior desafio foi sem dúvida o financiamento. Actualmente existe uma esperança que alguma destas raridades "voe navegando", o último modelo em stand-by, o MD-160 recebeu luz verde para produção em 2007 mas os avanços são estranhos e ao que parece estão a tratar de desenvolver a mais pesada máquina "voadora" do mundo, o Ekranoplano KM.
Ekranoplano KM.

No mundo ocidental, um fabricante mostrou-se interessado em reproduzir o conceito, a Boeing Company vem desenvolvendo o que chama de Pelican. É um turbohélice de transporte orientado para a actividade militar projectado para transportar 1.300 toneladas de carga a uma distância de até 10.000 milhas náuticas.

Sem comentários:

Enviar um comentário