01 Abril 2012

Maior navio de cruzeiros, na Europa, em 2013

O maior paquete do mundo vai estar baseado no Mediterrâneo no verão de 2013, antecipando uma opção da Royal Caribbean International, que se prepara para um novo investimento no porto de Barcelona, na construção de um novo terminal.
Desde que entrou ao serviço, em 2009, que o Oasis of the Seas tem apenas operado nas Caraíbas, em viagens à partida de Fort Lauderdale, Florida, onde foi construído um terminal de propósito para este paquete. O Oasis of the Seas divide o título de maior navio de cruzeiros do mundo com o seu irmão gémeo, o Allure of the Seas, de 2010. Além de serem  os maiores navios de passageros do mundo, o Oasis e o Allure, são  também os mais inovadores de sempre na oferta de espaços de lazer e entretenimento jamais vistos a bordo de um navio.
O principal destaque vai para a área denominada de Central Park onde existem dezenas de árvores e plantas, num espaço que atravessa interiormente e a céu aberto o navio, da proa à popa, com camarotes com varandas voltadas para este parque. É nesta zona onde estão também dispostos um conjunto de bares e restaurantes com ofertas variadas consoante o perfil do passageiro. Outra das inovações é o Boardwalk numa área também a descoberto e com camarotes com varanda voltados para o interior.
Um espaço onde se destaca o primeiro carousel a bordo de um paquete de cruzeiros para alegria dos passageiros mais novos, e não só. Existem ainda lojas, bares e pequenos restaurantes noutra oferta para os cerca de 6000 passageiros do navio. Mais a ré, na zona da popa, outra grande inovação, o Accua Teather. Num anfiteatro à largura do Oasis of the Seas, o palco é uma piscina com cerca de 7 metros de profundidade e onde decorrem magníficos espectáculos de dança e ginástica aquática e com mergulhos de alturas surpreendentes, com os passageiros a apludirem de pé. Estas são as três grandes inovações do Oasis of the Seas a que se juntam outras já inauguradas nos navios da classe Voyager e Freedom, como a Royal Promenade, uma avenida interior com lojas e bares e agora mais larga e comprida.
O mesmo acontece com o ringue de patinagem artística com espectáculos de grande qualidade, noutro espaço com a patente da Royal Caribbean. Inaugurado nos paquetes da classe Freedom, o Flowrider repete-se mas a duplicar no Oasis, para quem quer fazer surf graças a um sistema de jactos de água que simula autênticas ondas. Outra pequena grande inovação no Oasis of the Seas são as dezenas de ecrans plasmas distribuidos pelo navio e que ao toque digital dos passageiros dão informações sobre a localização dos camarotes (basta introduzir o numero da cabine) e de outros espaços, como bares, restaurantes, salões, sala de teatro, ginásio, etc etc. Por todas estas razões o Oasis e o Allure não são só os maiores navios de cruzeiros do mundo, jamais construídos, como também os mais inovadores, com um novo conceito de que o destino é agora o navio e não os portos a visitar. Um conceito de Hotel Resort com mais oferta e onde 7 dias de cruzeiro podem ser poucos para conhecer realmente o Oasis of the Seas.

1 comentário: