14 abril 2012

Miragens na origem da tragédia do Titanic

O historiador britânico Tim Maltin concluiu recentemente um conjunto de investigações no Reino Unido, Alemanha e Estados Unidos sobre o naufrágio do Titanic, na noite de 14 para 15 de Abril. Após um longo trabalho, concluiu que a tragédia terá tido origem em miragens causadas por fenómenos naturais.
Tim Maltin fez duas perguntas que sempre quis ter resposta: Qual a razão para o icebergue ter sido avistado tardiamente? Qual a explicação para que o navio Californian não tivesse avistado e socorrido o Titanic?
O historiador começou por investigar numerosos registos da temperatura da água e do ar
da zona do naufrágio, recolhidos em 1912, por navios que navegavam nas proximidades do Titanic, tendo descoberto alterações bruscas de temperatura, quer da água quer do ar.
Estas alterações consubstanciam a chamada Corrente do Labrador, numa corrente de água gelada vinda da Gronelândia. O arrefecimento do ar quente junto da água criam condições perfeitas para uma miragem, tal como as observáveis no deserto. Desta forma, o choque térmico pode criar um efeito óptico que eleva o horizonte acima da linha real, dificultando a visão clara de uma linha do horizonte que se confunde entre o mar e o céu, como chegou a revelar o comandante do Californian que desta forma sempre procurou se defender por não ter feito rumo ao Titanic.Essa noite estrelada, clara, de miragem e de falso horizonte fez com que os vigias do Titanic não tivessm visto a tempo o enorm icebergue que o Titanic acabaria por colidir por estibordo, em inglês, starboard, o lado das estrelas...
O historiador britânico Tim Maltin afasta o erro humano e conclui que foi a Mãe Natureza a única responsável pela tragédia do Titanic. Tim Maltin, que se interessa pelos assuntos do Titanic desde os 7 anos de idade, é o autor do documentário "Titanic-caso encerrado", do National Geographic que pode ver neste canal temático, no dia 15 de Abril, às 20:33.

Sem comentários:

Enviar um comentário