20 agosto 2012

Royal(s) Princess, uma história de baptismos

Os navios, as companhias de navegação, os passageiros, as tripulações, enfim, o mar, trazem vivências e histórias interessantes. O novo Royal Princess, que ainda não começou a actividade para o qual foi encomendado, tem já uma história bonita para ser contada.
A madrinha escolhida pela Princess para o novo paquete é Victoria Nash, filha do comandante Nick Nash, que curiosamente foi baptizada em 1996 a bordo do primeiro Royal Princess, de 1984. O sino do navio foi então utilizado para a cerimónia de baptismo da bebé, com o nome de Victoria a ser gravado no interior do sino. Quando o navio deixou a frota da Princess, a companhia agraciou o comandante Nash oferecendo este mesmo sino. A família Nash, cuja filha foi convidada para madrinha do Royal Princess, decidiu oferecer tão afamado sino à Princess e ao navio de que é madrinha, regressando agora o sino à Princess e a um paquete com o mesmo nome daquele em que Victoria foi baptizada.
Em 1983, o primeiro Royal Princess, da Princess Cruises, era lançado ao mar nas águas geladas de Helsinquia onde foi construído o actual Artania, operado pela Phoenix Reisen, depois de ter navegado para a P&O Cruises como Artemis.
Passados quase 30 anos, o novo Royal Princess foi lançado à água em Monfalcone, Itália, na passada semana, a 16 de Agosto. Este mês será também assente o primeiro bloco de construção do navio gémeo com entrega prevista para 2014.O novo Royal Princess, de 141 mil toneladas de arqueação brutas, vai ser entregue à Princess na Primavera de 2013. Com 330 metros de comprimento e 1780 camarotes, o Royal Princess é o maior navio construído pelos estaleiros italianos Fincantieri,que desde 1990 já construiram 63 navios de cruzeiros, 13 dos quais para a Princess Cruises.

Sem comentários:

Enviar um comentário